Saúde

Campanha de Vacinação é prorrogada por mais duas semanas

Campanha
29/05/2017 09:18:14
O Ministério da Saúde prorrogou o prazo de encerramento da Campanha de Vacinação Contra a Gripe, inicialmente marcado para essa sexta-feira, 26. Com a alteração, quem ainda não se vacinou terá até o dia 9 de junho mais uma oportunidade de se proteger contra a doença. Em Porto Alegre, até o momento, foram vacinadas 65,5% das pessoas do público-alvo. A prorrogação tem como objetivo atingir a meta de imunizar 90% das pessoas vulneráveis às complicações da gripe.
 
Para o secretário municipal de Saúde, Erno Harzheim durante esse período  é preciso um maior comparecimento do público nas Unidades de Saúde para receber a dose da vacina. “Quanto mais cedo as pessoas procurarem os serviços de saúde para se vacinar, mais cedo estarão protegidas. A vacina demora cerca de duas semanas para dar a proteção contra aos efeitos provocados pela influenza”, alerta.
 
Óbitos - A campanha prossegue nas 141 salas de vacinação mantidas pela Secretaria Municipal de Saúde. O atendimento é feito das 8h às 17h em todas as unidades. Já no Centro de Saúde Modelo e na Unidade Básica São Carlos, o horário de funcionamento é até as 22h. Técnicos da Secretaria Municipal de Saúde alertam para a importância de as pessoas que compõem os grupos prioritários serem vacinadas com a maior brevidade possível, já que a vacina demora alguns dias para fazer efeito e as temperaturas mais baixas devem ser registradas a partir deste mês. Dos cinco óbitos no Rio Grande do Sul devido à influenza, em 2017, dois foram de moradores da Capital – duas pessoas idosas que não haviam sido vacinadas.
 
Metas - A meta do Ministério da Saúde (MS) é imunizar os grupos, formados por idosos, crianças menores de cinco anos, trabalhadores de saúde, gestantes, puérperas, indígenas e pessoas com comorbidades. Somando pessoas privadas de liberdade (2.814), funcionários do sistema prisional (2.071) e professores (11.549), que não contam para a meta estabelecida pelo MS, o número de vacinas feitas chega a 396.644. A maior quantidade de pessoas vacinadas é do grupo dos idosos: das 213.003 doses previstas, 173.599 já foram feitas, num percentual de 81,5%. Na sequência, vem o grupo dos trabalhadores da saúde, com 52.440 vacinados, dos 82.464 trabalhadores (63,5%). As gestantes somam 7.800 doses, das 14.392 previstas pelo MS, índice de imunização de 54,2%. Os grupos com maiores percentuais registrados até o momento são os de indígenas (516 imunizados, ou 92,1% das 560 doses previstas) e puérperas, que alcança 84,2% (1.992 doses das 2.366 estimadas). O grupo das crianças entre seis meses e menos de cinco anos continua sendo o que registra menor percentual de imunizados: 50%, com 37.668 vacinados dos 75.330 previstos, incluindo vacinação nas redes pública e privada.
 
Documentação - Para fazer a vacina em crianças entre seis meses e menores de cinco anos, pais ou responsáveis devem apresentar a carteira de vacinação. Pessoas com comorbidades serão atendidas mediante auto referência, ou seja, são dispensadas de apresentar atestado médico ou receita de medicamento de uso contínuo que comprove a doença. Já os profissionais de saúde e professores precisam apresentar carteira de trabalho ou contracheque com descrição do local de trabalho. Idosos e demais grupos devem levar o Cartão SUS ou documento de identidade. No caso de gestantes que não são acompanhadas no SUS, levar atestado médico com a solicitação. As gestantes têm à disposição a vacina ao longo do ano, já que a gestação pode ser conhecida em período diferente ao da campanha de vacinação.
 
Texto e foto: PMPA
Anuncie no Jornal Via Norte, clique e saiba mais.