Saúde

Ônibus leva testes de HIV, sífilis e hepatite ao Centro na terça

Ônibus
30/10/2017 09:26:06

O público poderá realizar testes de HIV, sífilis e hepatite C na unidade móvel do projeto Fique Sabendo, que estará disponível terça-feira, 31, das 9h às 17h, no Largo Glênio Peres, em frente ao Mercado Público, Centro Histórico da Capital. Com segurança e privacidade, o resultado sai em apenas 30 minutos, com dois consultórios para atendimento à população. No mesmo dia, a partir das 8h, a Unidade de Saúde Santa Cecília (rua São Manoel, 543) também oferece testagem rápida aos usuários do SUS que procurarem o serviço. 

As ações são alusivas ao Dia Nacional de Combate à Sífilis, doença que muitas vezes não apresenta sintomas e tem crescido em Porto Alegre. Após a realização dos exames, as pessoas com casos confirmados da doença já recebem tratamento, com a aplicação da primeira dose de penicilina. Nos dias 19 e 20, a prefeitura levou seis espaços de coleta de sangue e oito consultórios ao Centro Histórico da Capital, com testes para detectar infecções por sífilis, HIV e hepatite C. Nos dois dias, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) atendeu 1.277 pessoas, com 248 casos reagentes para sífilis (19,42%), 42 casos de hepatite C (3,28%) e 22 casos de HIV (1,72%). 

Prevenção - A forma mais segura de se proteger da sífilis é usar camisinha na relação sexual. A doença é transmitida por uma bactéria e tem três fases de desenvolvimento, podendo inicialmente não apresentar sintomas. Se não for tratada, no entanto, pode comprometer vários órgãos, como olhos, pele, ossos, coração, cérebro e sistema nervoso. A sífilis é transmitida na relação sexual sem camisinha, compartilhando agulhas ou seringas ou da mãe infectada para o bebê, durante a gravidez ou no parto, nesse caso chamada de sífilis congênita, que pode causar aborto, má-formação do feto e até a morte do bebê. Porto Alegre tem 120 casos de sífilis adquirida por 100 mil habitantes, número que chega ao triplo do apresentado no Rio Grande do Sul, com 40 casos. Comparativamente, o Brasil tem 14 casos por 100 mil habitantes.

Fique Sabendo - O objetivo do projeto é ampliar o número de testes voluntários e a prevenção, além de aumentar o encaminhamento para tratamento, que deve começar o quanto antes. A ideia, ainda, é que as pessoas diagnosticadas reagentes ao HIV não abandonem o uso da medicação antirretroviral, necessária à manutenção da qualidade de vida. O projeto é uma iniciativa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), em parceria com a SMS.  

Equipada com dois consultórios, a estrutura tem espaço para testagem rápida e acolhimento e é adaptada a pessoas com necessidades especiais. Na Capital, o projeto é administrado pela Área de Infecções Sexualmente Transmissíveis da SMS. Saiba mais na fanpage do Facebook. A população também tem acesso a testes rápidos nas unidades de saúde de referência, onde podem ser obtidas orientações e mais informações.

Fique Sabendo no Largo Glênio Peres
Terça-feira, 31 de outubro, das 9h às 17h
Dois consultórios com testagens de HIV, sífilis e hepatite C

Texto e foto: PMPA

Anuncie no Jornal Via Norte, clique e saiba mais.