Cidade

Marginais deixam rastro de destruição em Porto Alegre

Marginais
14/06/2013 11:11:44

 

Na madrugada de ontem, Porto Alegre foi invadida por uma onda de violência praticada por marginais que deixaram um rastro de destruição por várias ruas da cidade. O motivo dos protestos foi o valor das tarifas de ônibus na capital. A Brigada Militar (BM) utilizou bombas de gás lacrimogênio e balas de borracha para contê-los. O trânsito foi prejudicado, enquanto várias pessoas percorriam as ruas centrais realizando protestos de todo o tipo. Vinte e três pessoas foram detidas pela polícia ao final da manifestação - 18 homens e cinco mulheres. Como em toda a manifestação, parte dos componentes realizou atos de vandalismo contra o patrimônio público e privado.

Contêineres de lixo foram queimados, vidraças de agências bancárias quebradas por pedras e até mesmo golpes de marreta. Pelo caminho, muitas pichações apareceram em paredes, com inscrições “passe livre” e pedindo passagens a R$ 2,60. Utilizando sinalizadores, paus, pedras, bandeiras e cartazes, alguns grupos fizeram pichações em vários estabelecimentos, assustando lojistas que tiveram de baixar as cortinas de aço ao ouvirem golpes nas portas de seus estabelecimentos. A Brigada Militar (BM) não teve outra alternativa a não ser intervir e dispersar os vândalos com bombas de gás lacrimogênio e balas de borracha com o objetivo de conter a destruição ao patrimônio público e privado que ficava pelo caminho. Após a prisão de diversos manifestantes, a Brigada constatou a posse de drogas além de coquetel molotov e sinalizadores entre os vândalos.

É preciso que os poderes constituídos dêem um basta neste vandalismo, escondido atrás de protestos muitas vezes legítimos, mas que servem de pano de fundo para marginais realizarem delitos graves contra a sociedade gaúcha.

 

Crédito da foto: Adriana Franciosi / Agência RBS

Anuncie no Jornal Via Norte, clique e saiba mais.