Saúde

Mutirão do SUS resultou em 4,2 mil cirurgias eletivas

Mutirão
19/03/2018 14:23:01
O mutirão de cirurgias eletivas do Sistema Único de Saúde (SUS), que ocorreu de setembro de 2017 a janeiro deste ano, teve 4230 procedimentos realizados e a utilização de R$ 2,77 milhões. O valor corresponde a 59% do recurso estipulado como referência para a Capital, que é de R$ 4,71 milhões. Os números são superiores aos da média nacional, cuja utilização de recursos foi de 42% no mesmo período. Os dados foram apresentados nesta sexta-feira, 16, pelo secretário da Saúde, Erno Harzheim, no Hospital Vila Nova, em ato que contou com a presença do prefeito Nelson Marchezan Júnior e do vice-prefeito Gustavo Paim.

Em julho de 2017, o Ministério da Saúde criou uma fila única para cirurgias eletivas em todos os estados, numa ação em conjunto com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). A partir daí foram destinados recursos para a execução dos procedimentos em hospitais conveniados, que são feitos por meio de marcação, sem caráter de urgência ou emergência. Na Capital participaram da iniciativa os hospitais Vila Nova, Clínicas, Independência, Santa Casa e Banco de Olhos. 

Conforme Harzheim, o destaque foi para as áreas de oftalmologia e vascular, com cirurgias de catarata e de varizes, além de cirurgia geral. “Agora, a expectativa é utilizarmos a totalidade dos recursos no sentido de oferecer novas cirurgias eletivas à população, reduzindo a fila de espera em Porto Alegre”, disse. Para este ano, estão previstos R$ 1,93 milhão, o que representa aproximadamente mais 2,8 mil cirurgias. 

O destaque no mutirão foi para o Hospital Vila Nova, com 3916 procedimentos, principalmente com cirurgias de varizes e catarata. O diretor do estabelecimento de saúde, Dirceu Dal Molin, disse que a instituição somou esforços para a realização dos procedimentos. Também reforçou que o Vila Nova é parceiro para um novo mutirão.

Marchezan destacou a importância da iniciativa e disse que a área da Saúde está “vencendo e fazendo” realizações extraordinárias, apesar das dificuldades financeiras enfrentadas pelo município. Lembrou que Porto Alegre é a única entre as capitais brasileiras com resultado negativo, conforme relatório divulgado pela Secretaria do Tesouro Nacional, com base em dados de 2016. O prefeito citou, ainda, avanços importantes como o fim da fila para consultas dermatológicas, com a telemedicina. “São conquistas sustentáveis e isso significa que estamos no caminho certo”, completou, ressaltando o comprometimento dos profissionais e de instituições parceiras como o Vila Nova para mudar a realidade da saúde.

Mais cirurgias em 2017 – De acordo com dados da Secretaria Municipal da Saúde, o número de cirurgias elencadas pelo Ministério da Saúde no rol dos procedimentos para a Estratégia de Cirurgias Eletivas nos meses de setembro, outubro e novembro de 2017 foi 46% maior do que no mesmo período do ano anterior. Na época, foram 8932 procedimentos e, em 2017, com o mutirão, o número passou para 13076. Nas cirurgias de catarata, foram 1594 em 2016 para 2411 procedimentos no mesmo período em 2017. O levantamento indica ainda que houve um incremento de 42% nas cirurgias de varizes (de 610 em 2016 para 868 em 2017). Outros procedimentos tiveram mais de 100% de aumento, como os oftalmológicos (fotocoagulação a laser, capsulotomia a Yag Laser). 
 
Texto e foto: PMPA
Anuncie no Jornal Via Norte, clique e saiba mais.