Saúde

Saúde qualifica gestão de medicamentos e economiza R$ 4 milhões

Saúde
19/12/2018 10:35:38

A implantação de sistemas informatizados na prefeitura possibilitou uma economia de R$ 4 milhões em 2018 na área de Assistência Farmacêutica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Hoje, os estoques são acompanhados em tempo real, com pedidos padronizados por critérios populacionais e média de consumo, permitindo saber os medicamentos utilizados pelos pacientes nos diferentes locais de atendimento. A distribuição de medicamentos foi ampliada em 14%, com um milhão de unidades a mais em relação a 2017.

Conforme a Coordenação de Assistência Farmacêutica (Cooraf) da SMS, a visualização dos estoques em tempo real qualifica a programação de compra, a distribuição de medicamentos e evita o desperdício, com maior controle de lotes e validades. “A ação evitou a perda de 1.787.757 unidades de medicamentos, o que gerou uma economia direta de R$ 350 mil em 172 serviços”, afirma o coordenador da área, farmacêutico Leonel Almeida. A entrega de medicamentos foi informatizada em 93% dos serviços, incluindo farmácias distritais e postos, gerando uma economia global de 15,14%.

Por ser integrado, o sistema possibilita que haja um controle em cada serviço de saúde, permitindo saber quais medicamentos são mais utilizados pelos pacientes. “Com a implantação nas unidades de saúde, temos um retrato do consumo de medicamentos da população da Capital, incluindo a estimativa mais exata do que é necessário por pessoa, além de evitar o consumo irracional”, explica Almeida. “Desse modo, podemos visualizar de forma clara se o prazo de validade está próximo do vencimento e quando as entregas foram feitas a cada paciente, reduzindo perdas e o uso indiscriminado”, completa.

Desenvolvida em 2016 pela Companhia de Dados do Município de Porto Alegre (Procempa) e readaptada no ano seguinte, a plataforma gera um mapeamento por unidade de saúde e respectivos pacientes em relação ao consumo de medicamentos. Para implantar o sistema nos locais de atendimento, a equipe da Cooraf percorre as unidades de saúde, onde faz o inventário inicial e o treinamento dos profissionais responsáveis pela entrega.

Para Leonel, entre as vantagens é possível conhecer o consumo da população, possibilitando que o medicamento seja disponibilizado nos locais em que é mais necessário, além de reduzir custos e dar mais segurança, com o controle exato do que é entregue a cada paciente. “Hoje, temos como saber o que o paciente recebeu, bem como a data, horário e lote do medicamento retirado, além do cálculo automático do quanto deve ser entregue na visita seguinte, conforme o período de tratamento”, diz.

Para a retirada de medicamentos de responsabilidade do município, é necessário apresentar três documentos do paciente: cartão SUS, documento de identificação oficial com foto e receita válida. Os itens incluídos na Relação Municipal dos Medicamentos Essenciais podem ser encontrados nas unidades de saúde do município. Já os medicamentos controlados e antibióticos estão disponíveis somente nas farmácias distritais.

Anuncie no Jornal Via Norte, clique e saiba mais.